Dominio: missaopoliglota.com.br
Chave: ce01ce45861222d5ba53fe1a151712ce36e8c1bc
Hora do cache: 1513005588
Vida do cache: 1513048788
Status: 1
Mensagem: Centive nao respondeu
Chave do Pedido: 86c1f9f890b64907d5b495a17d81907d68a4a5fb
Chave do Produto: PROKEY
Scroll Top
Livro digital gratuito

Baixe o e-book gratuito "5 estratégias infalíveis para aprender qualquer idioma". Basta inserir seu nome e e-mail.

Artigos

Como estudei japonês e como você pode começar

Quer saber mais sobre os meus estudos da língua japonesa? Leia o artigo, curta as fotos da minha viagem ao Japão, veja as dicas e aproveite mais um presente (um livro) que tenho para você.

Ponte, sakura e carpas

Ponte, sakura e carpas – Clichê?

Tudo começou em 2003, quando estudava no CEFET. Aliás, meu interesse pelo Japão começou desde os 5 anos de idade, quando cortei uma bela toalha vermelha da minha avó para fazer uma bandeira japonesa. Na época, fazia karatê e era fascinado por filmes de artes marciais. E, ao que tudo indica, já gostava de Akira Kurosawa, um grande cineasta japonês. Assisti a dois de seus filmes quando ainda era criança: Sonhos e Dodesukaden.

Mais de 20 anos depois dos primeiros contatos, continuo a praticar artes marciais e a assistir a filmes de Kurosawa. A cultura japonesa entrou cedo em minha vida e ainda se faz muito presente. O fascínio sempre foi tão grande que um dos sonhos da minha vida era conhecer o Japão, sonho que realizei no início de 2015! Tenho a tanto a falar sobre a viagem, tantas fotos para mostrar… Mas, neste artigo, vou me concentrar no estudo da língua japonesa.

Apesar do contato com a cultura do outro lado do mundo, a primeira língua estrangeira que estudei foi o italiano. Só no Ensino Médio decidi começar a estudar japonês e me inscrevi em um curso, no próprio CEFET, escola que frequentava. O engraçado é que minha irmã de 10 anos também se interessou em estudar japonês, porque adorava Sailor Moon e Sakura Card Captors. Meus pais a mandaram comigo. Cuidar dela foi um grande prazer para mim, e também um orgulho.

O primeiro livro adotado pelo curso foi:

novo_curso_basico_japones

Ele tinha explicações em português sobre a gramática, listas de vocabulário, exercícios para aprender a escrever e muita tradução/versão. O método ia realmente na contramão de outros métodos de idiomas, que focavam na comunicação. Nós aprendíamos muito vocabulário, muita gramática, mas não sabíamos direito aplicar a uma situação comunicativa.

No terceiro semestre, a escola acabou adotando um outro manual:

minnanonihongo

Este método já era mais comunicativo: já líamos alguns diálogos e já sabíamos aplicar o que tínhamos aprendido em uma situação real, mas também continha muitas regras de gramática, muitas listas de vocabulário e muitos exercícios repetitivos para aprender a escrever e a ler kanji. É difícil fugir do método tradicional no estudo do japonês.

De qualquer forma, adorava o curso, os meus colegas e as confraternizações de final de semestre: muito sushi e muita sobremesa japonesa! Completei 6 semestres e já podia entender bastante coisa e me expressar [quase] decentemente. Mas, em 2005, abandonei o curso por causa dos estudos para o vestibular. Pior erro da minha vida, dava pra ter mantido os dois tranquilamente.

A língua ficou adormecida durante 10 anos em minha mente, excetuando um único semestre em que tentei retomar, mas sem sucesso. Durante esse tempo, estudei francês na universidade e ensinei inglês e italiano em escolas de idiomas. Morei nos Estados Unidos e depois na França. Comecei a estudar alemão. Todo meu contexto dificultou minha volta aos estudos nipônicos.

Até que conheci minha atual esposa, que frequenta uma igreja japonesa. Seu sonho era ir ao Japão, para conhecer os lugares sagrados de sua religião. Acabamos embarcando no sonho um do outro e nos organizamos para viajar. Dois anos depois de casados, decidimos que iríamos ao Japão e, no ano seguinte, já estávamos prontos. Não se assuste, tudo acontece muito rápido na minha vida.

Eis duas fotos dessa viagem SENSACIONAL, uma de Tokyo e uma do mar japonês, da cidade de Atami:

Tokyo

Tokyo e sua loucura noturna

Mar japonês

Mar japonês – uma pintura?

Durante a viagem, comprei materiais para retomar meus estudos. Ainda não os abri, mas pretendo mostrar tudo por aqui. Acho a caligrafia japonesa incrível e sempre gostei de aprender kanji. Aproveitei a oportunidade, né? Não é todo o dia que se vai ao Japão.

Materiais de estudo

Materiais de estudo

Depois da viagem, é claro que meu interesse pelo Japão aumentou ainda mais e, com o interesse pelo país, o interesse pela sua língua. Como não disponho de muito tempo, mas quero manter um contato com o idioma, acabo assistindo a alguns anime, estudando algumas músicas e alguns haikai. Pretendo registrar o momento em que começar a usar o que comprei no Japão, então, fique ligado.

Está gostando dos artigos? Inscreva-se para receber ainda mais dicas!

Outro dia, estava relembrando o tempo em que fazia o curso de japonês e ouvia músicas de abertura de anime para estudar. Minha abertura favorita era a de Samurai X – るろうに剣心. E como fazia um bom tempo que não estudava com músicas japonesas e não queria simplesmente sair catando todo o vocabulário no dicionário, como fazia antes, busquei novos métodos de estudo. E foi aí que dei de cara com a dica deste vídeo, de um professor de japonês que disponibiliza dicas gratuitas em seu canal:

Achei interessante a sinceridade com que ele encarou o tema, dizendo que a música não faz tanta diferença nos estudos do idioma, opinião com a qual concordo apenas em parte. Porém, as dicas de leitura com áudio, de extração de sentenças e de estudar o idioma a partir de um assunto do qual você gosta, fazem parte das minhas estratégias de estudo e são realmente muito eficazes. Curioso como sou, decidi investigar um pouco da vida do autor do vídeo e acabei conhecendo o seu livro:

Clique para baixar

Clique para baixar o livro

Dei uma folheada no livro, vi que o material era realmente de qualidade e reservei para estudar. Estou estudando aos poucos, por estar tocando diversos projetos atualmente. Mas, sempre quando posso, ao menos uma vezes por semana, estudo uma ou duas páginas e assisto a vídeos indicados no próprio material. Continuei a pesquisar e vi que, além de tudo que ele já oferece no YouTube (clique aqui para ver o seu canal) e do livro que você com certeza já baixou, ele está oferecendo um curso! Pensei: “Agora é a hora! Vou voltar a estudar!”

A internet realmente nos oferece oportunidades incríveis. Quando comecei a estudar, não havia tanto conteúdo assim disponível na rede, o YouTube ainda não era tão popular (nem sei se já existia),os celulares ainda eram aqueles tijolões e o ensino do japonês era totalmente tradicional. O fato é que, seja como for, acredito que este seja um ótimo momento para nós dois (re)começarmos os estudos.

O método do Luiz Rafael é incrível, muito moderno e eficiente. Com ele, você vai aprender a falar, ouvir, ler e escrever, para desenvolver uma grande autonomia no idioma e ter acesso a oportunidades ainda melhores do que as que você imagina. Além de ter uma metodologia incrível, o curso trabalha com turmas fechadas e isso cria uma comunidade de alunos realmente interessados em aprender e em crescer, como aprendizes e como pessoas.

Mesmo antes de lançar o curso, o professor já disponibilizou GRATUITAMENTE uma série de dicas incríveis para você colocar em prática hoje mesmo. Estou dividindo esse material com você porque acredito que essas dicas possam ajudar no seu desenvolvimento pessoal e nos seus estudos da língua japonesa:

programa_japones_videos

Clique aqui para ver a série de vídeos

Com relação ao curso, as inscrições começaram na terça-feira (08/09) e acabarão em menos de uma semana, sem uma data certa para encerrar, a lotação já está em 54%! É bem provável que as inscrições encerrem hoje. Então, não perca tempo, faça já sua inscrição:

Clique para fazer sua inscrição

Clique para conhecer melhor o curso e fazer sua inscrição

E, caso eu não tenha convencido você de como esse curso é importante, aqui está uma lista de depoimentos dos alunos do Rafael. São quase cem vídeos. Dá só uma olhada nos depoimentos. Eu realmente acredito neste curso e pretendo sinceramente em me inscrever, para retomar os meus estudos e o meu antigo ritmo de aprendizagem dessa língua maravilhosa, que é a língua japonesa.

 

Sobre o autor | Website

Igor Barca domina inglês, francês, italiano e espanhol e estuda alemão e japonês. Sua missão é aprender ao menos 10 idiomas e ajudar você a aprender também!

1 Comentário

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.